Quarto Montessoriano – o que é e como criar um


2013-04-12

 Ganhando cada vez mais adeptos no Brasil, o método Montessori ou pedagogia montessoriana foi criado por Maria

Mantessori, (1870-1952), médica e educadora italiana que defende que a individualidade e a liberdade da criança
são de extrema importância para seu desenvolvimento e devem ser estimuladas desde cedo.
 
Um dos aspectos deste método diz respeito a como deve ser o ambiente em que a criança vive: daí o termo “quarto
montessoriano”. Segundo o método Montessori, este quarto deve ser mais minimalista e adaptado ao ponto de vista
da criança, dando a ela segurança e liberdade para descobrir e aprender a todo o momento. O quarto montessori
se baseia no princípio de que a criança, nos primeiros anos de vida, elabora os próprios conceitos pela ação e pelo
contato com o mundo em que vive.
 
Seguindo este pensamento, tudo no quarto deve estar ao alcance das suas mãos ou da sua visão, para que ela
possa ter acesso quando quiser. Desta forma, ela é estimulada a pensar e agir, desenvolvendo assim noções de
responsabilidade e confiança.
 
Um dos principais diferenciais do quarto montessoriano pode parecer estranho para quem nunca ouviu falar do
método: ele não tem berço ou cama mais elevada e sim um colchão no chão. Mas esta não é a única coisa para
se criar um quarto infantil Montessori. Veja a seguir como criar um quarto estimulante e seguro para as crianças
levando em conta o método de Maria Montessori:
 
Sai o berço, entra o colchão
 
Substitua o berço ou cama por um colchão no chão. Ele pode ficar sobre um estrado baixo, um tapete de e.v.a.
ou algo que não o deixe muito elevado. A criança precisa conseguir deitar, levantar e sair da cama com facilidade,
de preferência sozinha (seja andando, se arrastando ou engatinhando, dependendo da fase). Se o bebê costuma
rolar durante a noite, você pode colocar travesseiros ou almofadas formando uma espécie de “barreira” ao redor
 
do colchão, mas permitindo que a criança possa passar por ela facilmente quando acordada. Cabe aqui uma
ressalva: para a criança recém nascida, dormir no chão pode envolver alguns problemas. Em livros sobre Montessori
produzidos no hemisfério norte e em locais menos tropicais, insetos não são considerados. Mas aqui podemos
pensar neles e considerar que para os primeiros meses pode ser uma boa ideia um berço.
 
Brincar faz bem! Ler também!
 
Uma das prioridades do método Montessori é adotar o ponto de vista da criança, ou seja, aquilo que ela puder
acessar deve ficar ao nível de suas mãos. Assim, os brinquedos e livros devem ser deixados em prateleiras baixas
para que a criança os alcance quando quiser. Mas atenção: não é necessário deixar todos os brinquedos à vista,
pelo contrário, isso pode deixar a criança estressada e confusa. Uma dica é ir revezando os brinquedos, mantendo
nas prateleiras alguns de seus preferidos e outras pelos quais a criança tem menor interesse. Depois de brincar e
espalhar os objetos, a organização do quarto deve ser feita pela criança, com orientação/ajuda dos pais. A criança
deve ser estimulada a pensar e compreender como as coisas funcionam, os processos da casa (por exemplo, tirou a
roupa suja-colocou a roupa suja no cesto, ou tirou o brinquedo da caixa- brincou-terminou de brincar-devolveu para
a caixa);
 
Liberdade para se vestir
 
Disponibilize algumas peças de roupas em gavetas, araras ou armários baixos e estimule a criança a se trocar
sozinha. Dependendo da idade, ela não demonstrará muita habilidade ou mesmo interesse no início, mas aos poucos
vai aprendendo e descobrindo que é capaz de se vestir por conta própria – e provavelmente vai achar isso o máximo.
 
Espelho, espelho meu
 
Outro objeto frequente em quartos montessorianos é o espelho, interessante por diversos motivos. A criança
pequena, por natureza, gosta muito do rosto humano e, além disso, é importante para o bebê reconhecer
seu próprio rosto, as possibilidades de movimento dele e as partes de seu corpo. Fora isso, o método prega
que enxergar a si mesmo no espelho pode ajudar a criança a se reconhecer como indivíduo, auxiliando no
desenvolvimento da autonomia e da força de vontade. Quando a criança é ainda bebê, o espelho pode ser colocado
na horizontal, bem próximo do chão. Depois, à medida que ela cresce, o objeto pode ficar horizontalmente,
acompanhando sua altura e campo de visão. Para evitar acidentes, é aconselhável que o espelho seja de acrílico e
esteja bem preso na parede ou na porta do armário.
 
Caixa de tesouros
 
Consiste em uma cesta – ou caixa mesmo – com objetos de outras partes da casa e que chamem a atenção da
criança, como por exemplo, colher de pau, peneira, pregador de roupa, copo plástico, vasilhas, etc. Dê preferência
a itens de materiais e texturas diferentes, sempre atentando para a segurança (não devem ter partes pontiagudas
ou soltar partes que possam ser engolidas pela criança, por exemplo). O objetivo dos objetos na caixa é estimular
aspectos sensoriais da criança de forma livre.
 
Barra de Apoio
 
Em um quarto montessoriano de bebê, é válido instalar uma barra de apoio na parede para que ela possa ajudar a
criança a andar, sem depender da ajuda direta dos pais. Um estímulo a mais é pendurar objetos nesta barra, com
espaços de intervalo, para que a criança tenha objetivos a atingir quando tentar caminhar. A utilização dela precisa
ser ensinada e utilizada quando a criança já está tentando levantar e dar os primeiros passos.
 
Segurança
 
Além de ajudar a deixar o quarto mais acessível, colocar-se no lugar da criança na hora de planejar um quarto
montessoriano também possibilita avaliar se o ambiente oferece riscos. O objetivo do método Montessori é
promover a autonomia dos pequenos, mas é preciso tomar uma série de cuidados tanto com o quarto quanto
com a casa para que isso ocorra. A criança cresce com mais independência, mas ainda é preciso monitorá-la com
frequência. Tomadas e objetos pontiagudos devem ficar fora do alcance da criança.